• <Home

Crenças e Atitudes

Crenças e Atitudes

Emoções e raciocínio

Ao ensinar os alunos a raciocinar, os professores deparam-se com dois grandes desafios. O primeiro é proporcionar aos alunos as instruções e a prática nos tipos certos de capacitações. A segunda, uma tarefa muito mais difícil, é persuadir e inspirar os alunos a usar as habilidades de maneira apropriada na escola e no seu dia-a-dia.


As atitudes e crenças que conduzem ao bom raciocínio foram descritos de várias formas. Aqui, exploraremos três dessas perspectivas: Os Hábitos Intelectuais de Costa e Kallick, ateoria de consciência plena de Langer e as disposições desenvolvidas por Tishman e seus colegas.

Hábitos Intelectuais de Costa e Kallick ›
Arthur Costa e Bena Kallick (2000) desenvolveram uma estrutura para pensar sobre o que motiva as pessoas a se comportarem "de forma inteligente quando se deparam com problemas" (p. 80). Eles destacaram cinco características das pessoas que usam hábitos intelectuais, bem como dezesseis hábitos intelectuais que são essenciais para o raciocínio.

Consciência plena ›
Ellen Langer (1989) usou o termo "consciência plena" para descrever uma abordagem de vida na qual as pessoas usam minuciosamente todas as informações e capacitações à sua disposição quando se confrontam com problemas. As características de quem exerce a consciência plena são a "criação de novas categorias, abertura para novas informações e consciência de mais de uma perspectiva" (p. 62).

Ensinando crenças e atitudes ›
Descritas como "traços intelectuais perduráveis" (Tishman, 2000, 73), as Disposições Cognitivas incorporam a inclinação a raciocinar criticamente, uma sensibilidade aos eventos em que é preciso raciocinar e a capacidade de pôr em prática as capacitações cognitivas e estratégias necessárias. Embora sejam similares aos hábitos intelectuais, as disposições cognitivas concentram-se mais em atitudes e crenças intelectuais. Essas disposições podem ser ensinadas explicitamente.


Referências


Costa, A. L.. & Kallick, B. (2000). Describing 16 habits of mind. Alexandria, VA: ASCD.

Costa, A. L. (2000). Habits of mind. In A. L. Costa (Ed.), Developing minds: A resource book for teaching thinking, (pp. 80-83). Alexandria, VA: ASCD.

Langer, E. J. (1989). Mindfulness. New York: Merloyd Lawrence.

Pinker, D. (1997). How the brain works. New York: W. W. Norton.

Tishman, S.  (2000). Added value: A dispositional perspective on thinking. In A. L. Costa (Ed.), Developing minds: A resource book for teaching thinking, (pp. 72-74). Alexandria, VA: ASCD.

Tishman, S.; Jay, E., & Perkins, D. (1992). Teaching thinking dispositions: From transmission to enculturation.http://learnweb.harvard.edu/alps/thinking/docs/article2.html*  

Estimulando o raciocínio

Leia sobre as diferentes perspectivas do ensino de atitudes que estimulem o raciocínio:

Hábitos intelectuais
Consciência plena
Ensinando crenças e atitudes