• <Página inicial

Planejando um Projeto

Planejando um Projeto

Escolhendo um Projeto

Os critérios de classificação podem ser objetivos e subjetivos. O critério objetivo é aquele que possui uma resposta correta, como a ordem em que estão dispostos os artigos da Constituição brasileira. As classificações subjetivas são aquelas que seguem uma ordem baseada na análise ou opinião dos alunos. Por exemplo, os alunos classificam os artigos da Constituição na ordem de importância em suas vidas. As classificações objetivas são muito úteis para avaliar a compreensão factual. As classificações subjetivas revelam o raciocínio de um aluno ou de uma equipe, assim como o entendimento de um problema.

Opiniões podem ser um fator para se organizar uma lista. A Ferramenta de Classificação Visual tem o objetivo de estimular discussões, sendo útil em um projeto que envolva controvérsias, pontos de vista opostos ou outras perspectivas. Por exemplo, organizar uma lista dos grandes romancistas envolveria mais discussão do que organizar a sequência de eventos em um romance.

Listas para separar ou classificar é apenas parte de um bom projeto. A utilização da ferramenta pode ser uma dentre muitas atividades de aprendizagem.

Pense em maneiras de expandir a comunidade de aprendizagem. Você pode acrescentar, em seu projeto, especialistas externos e alunos de outras classes ou escolas, pais e outros membros de equipe. Como é uma ferramenta da Web, essas pessoas podem contribuir com suas classificações e participar da discussão de qualquer lugar em que estejam.

Observe como as opiniões mudam com o passar do tempo. Pense em projetos nos quais as comparações com listas anteriores podem levar à reflexão e à aprendizagem.

Preparando Equipes

  • Organize os alunos em equipes de dois a quatro. Quando trocam opiniões sobre um item ou convencem um colega a alterar a classificação, os alunos estão envolvidos na aprendizagem. Tendem mais a trocar opiniões em grupos menores.
  • Pense em incluir equipes de outros lugares fora da classe. Será necessário preparar uma equipe para cada outra equipe da classe e informar-lhes o nome de equipe e a senha.
  • Com o passar do tempo, compare as equipes dando-lhes um novo nome em cada atividade. Por exemplo, a equipe Vermelha pode ser chamada Vermelha 1 para a atividade no início do projeto e Vermelha 2 para a atividade final. A senha pode ser a mesma para todas as ocorrências.
  • Se as equipes de alunos tiverem critérios diferentes para classificar itens ou fizerem a classificação segundo perspectivas diferentes, você pode lhes fornecer uma ID de equipe que permitirá que os alunos identifiquem as diferentes perspectivas ao compararem suas classificações. Por exemplo, se uma equipe tiver a função de Prefeito, então dê-lhe o nome de Prefeito. Aos participantes de fora, pode lhes dar uma identificação especial de equipe para que suas classificações sejam facilmente identificáveis. Por exemplo, Urbanista.

Escolhendo uma Boa Instrução (Prompt)

  • Uma boa instrução inclui critérios de classificação. Por exemplo: “Coloque esta lista de invenções em ordem de importância para a vida moderna”. Pode ser um bom exercício para os alunos discutirem e decidirem os critérios de classificação. Faça um “brainstorm” para que os alunos reflitam sobre maneiras de organizar a lista. Em seguida, peça-lhes para limitarem suas escolhas de acordo com os critérios mais úteis ao projeto.
  • Redija a instrução de modo que os alunos entendam que devem classificar todos os itens, e não apenas “escolher os melhores”. Em vez de “Quais foram os maiores presidentes?”, a instrução deve esclarecer “Classifique estes presidentes em relação ao impacto que tiveram sobre os direitos civis”.
  • Pode ser muito útil omitir os critérios. Se a instrução não incluir os critérios de classificação, as listas organizadas poderão variar de acordo com os critérios de cada equipe. Isso cria a oportunidade de discutirem como a aplicação de diferentes critérios pode levar a diferentes classificações..

Listando Itens

  • Muitos professores utilizam uma atividade com a classe toda para determinar quais itens classificar. O processo de chegar à lista pode ser, em si mesmo, uma atividade significativa. Por meio de “brainstorming” e discussão com a classe, os alunos negociam as palavras a serem empregadas, constroem o entendimento e decidem quais itens são mais importantes para incluir.
  • Limite o número de itens a serem classificados de 7 a 12. Com poucos itens para classificar, pode haver pouca variação entre as diversas listas. Com itens demais, as equipes de alunos podem ter dificuldade em fazer distinções significativas.
  • Nomes curtos para os itens são mais fáceis de classificar. Você pode utilizar até 83 caracteres para descrever cada item, mas as caixas de texto serão redimensionadas para adequarem-se ao comprimento do item mais extenso.
  • Reveja a lista para verificar se os itens não são muito semelhantes ou se não estão se sobrepondo (por exemplo, em uma atividade para os alunos classificarem seus animais de estimação preferidos, evite incluir “cães” e “collies”).
  • Examine sua lista de itens para ver se há alguma parcialidade não intencional sobre como devem ser ordenados. Os itens serão apresentados aos alunos na ordem em que você os colocou, porém ofereça uma lista de itens que mostre uma parcialidade para que os alunos reajam a ela.
  • A lista de itens para classificar pode ser editada depois de iniciar a atividade. Se um novo item for acrescentado ou se um item for mudado, peça aos alunos para reavaliar todos os itens da lista.

Estratégias de Ensino