Desmistificando o panorama da realidade virtual

As diferenças entre Realidade Virtual, Realidade Aumentada e Realidade Mesclada e como podemos nos preparar para experimentar uma nova realidade para nós mesmos.

Saiba mais sobre este panorama e os requisitos para um sistema de computação capaz de atender às demandas dessas experiências novas e imersivas.1

O limite entre o mundo virtual e o real continua a diminuir, fornecendo experiências de tirar o fôlego que, há pouco tempo, só poderiam ser encontradas na imaginação de escritores de ficção científica.

A Realidade Virtual (VR) tem sido a “próxima grande coisa” há muitos anos, mas finalmente chegou sua hora como uma maneira de gerar imagens, sons e outras sensações realistas que colocam você no meio de um mundo imaginário espetacular. A Realidade Aumentada (AR), que acrescenta material virtual ao seu ambiente do mundo real, está contribuindo para a agitação e ambas as tecnologias devem tornar-se uma parte importante do nosso futuro. Com a Realidade Mesclada (MR), é possível jogar videogame virtual, pegar sua garrafa de água do mundo real e colocar um personagem imaginário do game dentro da garrafa. A imaginação e a realidade nunca estiveram tão entrelaçadas.

Tanta coisa está acontecendo tão rapidamente, que as diferenças entre VR, AR e MR podem parecer um pouco confusas a princípio. Todas essas tecnologias fascinantes estão acessíveis a quase todo mundo, mas antes que você desperdice seu dinheiro suado com o mais novo dispositivo de cabeça, vamos examinar melhor o que precisará para uma experiência incrível com VR, AR ou MR.

A História e o futuro da Realidade Virtual
Temos tentado capturar “Realidade Virtual” por muito mais tempo do que apenas os últimos cinco ou dez anos. Houve tentativas populares com brinquedos na década de 1950 e os simuladores de voo integrados foram lançados na década de 1960, mas a Realidade Virtual ideal é ainda mais antiga.

Já na década de 1930, os escritores de ficção científica, inventores e curiosos sonhavam com um ambiente onde se pudesse fugir da realidade por meio da arte e das máquinas. Pensávamos em questões sobre Realidade Virtual versus Realidade Aumentada versus Realidade Mesclada muito antes de termos a tecnologia para torná-las possíveis.

A tecnologia alcançou a ficção e os pesquisadores de mercado preveem um crescimento rápido para a indústria de VR.

VR e AR encontram a MR
Uma coisa de cada vez. Vamos definir a tecnologia. A Realidade Virtual pode ser usada como um termo geral para descrever outras tecnologias semelhantes, mas diferentes. de uma verdadeira experiência de Realidade Virtual. Mas qual é a diferença entre Realidade Aumentada e Realidade Mesclada? Aqui estão mais detalhes:

Realidade virtual
A VR é a mais amplamente conhecida dessas tecnologias. Ela é totalmente imersiva, que engana seus sentidos para você pensar que está em um ambiente diferente ou em um mundo diferente do mundo real. Utilizando um dispositivo de cabeça (HMD) ou headset, você vai experimentar um mundo gerado por computador de imagens e sons, no qual é possível manipular objetos e deslocar-se usando controladores táteis, enquanto fica ligado a um console ou PC.

Realidade Aumentada
A AR reveste com informações digitais os elementos do mundo real. Pokémon GO* está entre os melhores exemplos conhecidos. A Realidade Aumentada mantém o mundo real como centro, mas o aprimora com outros detalhes digitais, acrescentando novas camadas de percepção e complementando sua realidade ou seu ambiente.

Realidade Mesclada
A MR une o mundo real a elementos digitais. Na realidade Mesclada você interage com itens e ambientes físicos e virtuais e manipula-os, utilizando tecnologias de detecção e imagem. A Realidade Mesclada permite que você se veja e mergulhe no mundo à sua volta, mesmo enquanto você interage com um ambiente virtual usando suas próprias mãos – tudo sem nunca tirar o headset. Ela proporciona a capacidade de ter um pé (ou mão) no mundo real e o outro em um lugar imaginário, derrubando os conceitos básicos entre o real e o imaginário e oferecendo uma experiência capaz de mudar a maneira como jogamos e trabalhamos hoje.

Utilizando tecnologias de Realidade Virtual
De games a filmes, à Medicina, os usos de Realidade Virtual, Realidade Aumentada e Realidade Mesclada estão se expandindo.

  • Saúde – para treinamento, como simulações cirúrgicas
  • Filmes e TV – para filmes e programas, de modo a criar experiências únicas
  • Viagem virtual – excursões virtuais a um museu de arte – ou a outro planeta, tudo sem sair de casa
  • Esportes profissionais – para programas de treinamento como STRIVR, voltado para ajudar atletas profissionais e amadores
  • Games – para mais de 1.000 games já disponíveis atualmente, desde atiradores em primeira pessoa a games de estratégia, a aventuras com dramatização

Do que você vai precisar: headsets
Existem inúmeros headsets de VR disponíveis, com diversos níveis de desempenho e preços. Um dispositivo de nível básico, como o Google Cardboard*, utiliza seu telefone celular como tela, ao passo que os dispositivos operados por PC, como o HTC Vive* ou Oculus Rift*, são imersivos – fornecendo um ambiente de VR superior. A Microsoft anunciou recentemente sua plataforma de Realidade Mesclada do Windows* 10 que, a princípio, utiliza headsets totalmente imersivos comercializados por Acer, Asus, Dell, HP, Lenovo e Samsung.

Alguns headsets de AR estão disponíveis no mercado hoje e há rumores de que outros virão no futuro. Microsoft Hololens*, Google Glass* e o headset Meta 2* são excelentes exemplos.

Todo HMD conectado a um PC terá requisitos de sistema diferentes, portanto, se estiver comprando um novo headset de Realidade Virtual, certifique-se de verificar com o fabricante do HMD os requisitos de sistema recomendados e mínimos.

Do que você vai precisar: computadores
Se você está procurando um computador novo e está interessado em VR, precisará de algo que possa trabalhar com cargas pesadas. Quando o assunto é desktops ou notebooks de alta tecnologia para Realidade Virtual (e outras tarefas avançadas, como games ou edição de vídeo), a CPU, GPU e memória são os componentes mais críticos.

Sem esses componentes de alto desempenho trabalhando em sincronia, você poderia ter uma experiência muito frustrante. Um sistema potente garantirá que você tenha diversão sempre que se inclinar, ficar de pé ou caminhar. A VR que fica lenta torna impossível para o mundo virtual responder da maneira que você espera, o que pode causar mais do que apenas desapontamento, aumenta o risco de enjoos de movimento.

Um processador de alta tecnologia auxilia no rastreamento da posição e controla o quão real e imersivo será seu ambiente virtual, desse modo você desfrutará de uma experiência mais profunda em um ambiente de alta fidelidade. Para uma experiência de VR excelente, considere a mais recente geração do processador Intel® Core™ i7.

Recomenda-se uma unidade de processamento gráfico (GPU) discreta ou, no caso do Oculus Rift*, HTC Vive* e Windows Mixed Reality Ultra* ela é um requisito. A GPU é responsável pela renderização das imagens imersivas e de alta resolução necessárias para a VR. Oculus, HTC e Microsoft possuem ferramentas de criação de perfil que você pode baixar dos websites dessas empresas e rodar no seu PC, de modo a determinar se este computador atende aos requisitos mínimos para seus headsets de VR.

Escolha sua experiência
As novas tecnologias e produtos de VR e AR continuam a chegar ao mercado, tornando os novos ambientes acessíveis ao grande público. Virtual, Aumentada e Mesclada – a escolha de uma nova realidade depende de você. Deixe sua imaginação e sua disposição para experimentar novos dispositivos aprimorarem sua experiência!

Principais termos de VR que você deve conhecer
Utilize este gráfico para aprender mais termos e definições de VR.

Termo

Descrição

Porque é importante

Quadros por segundo (FPS)

Frequência com a qual um sistema pode exibir imagens consecutivas ou quadros.

Sem uma taxa de quadros elevada e constante (superior a 60 FPS), o movimento não ficará correto e você pode até sentir náuseas.

Campo de visão

O ângulo do mundo observável que pode ser visualizado.

Se a janela de visualização for muito estreita, você pode acabar fazendo movimentos de cabeça pouco naturais.

Graus de liberdade (DoF)

O número de direções em que um objeto pode mover-se ou girar. Os seis graus de liberdade são: inclinação, giro, guinada, esquerda e direita, para frente e para trás e para cima e para baixo.

Um número maior de DoFs permite que você se movimente com mais naturalidade em VR.

Latência

O tempo necessário para um sistema reagir/responder a movimentos ou comandos.

A latência é crucial quando se trata da presença de Realidade Virtual interna – se o sistema não responder instantaneamente, não parece real.

Experimente o benefício dos dispositivos acionados pela Intel

Desktops

De dispositivos de bolso até torres de alto desempenho, os desktops com a tecnologia Intel® estão disponíveis em uma variedade de pacotes para qualquer necessidade. Os desktops mais recentes lhe dão liberdade para armazenar, criar e compartilhar seu conteúdo mais precioso.

Saiba mais

Notebooks

Aproveite as possibilidades portáteis com os novos notebooks com processadores Intel® Core™. Equipado com potência e capacidade de resposta sem precedentes, você poderá elevar sua produtividade, criatividade e entretenimento a um novo patamar.

Saiba mais

Informações de produto e desempenho

1

Os recursos e benefícios das tecnologias Intel® dependem da configuração do sistema e podem requerer hardware habilitado, software específico ou ativação de serviços. O desempenho varia dependendo da configuração do sistema. Nenhum produto ou componente pode ser totalmente seguro. Consulte o fabricante ou o revendedor de seu sistema ou saiba mais em https://www.intel.com.br.